Saber quais são as empresas que recebem isenções fiscais e quais são os setores mais beneficiados pelo governo foi o motivo de uma reunião de representantes do Fórum das Entidades Sindicais (FES) – do qual a diretoria do SINTESPO faz parte – e o secretário de Estado de Administração e Previdência do Paraná, Reinhold Stephanes.

“Ao mesmo tempo que o governador deixa de arrecadar para o povo paranaense algo em torno de 11 bilhões de reais por ano, os servidores públicos ficam sem reajuste da inflação em seus salários e agora podem perder muitos direitos com a reforma da previdência estadual, enviada por Ratinho Jr. à Assembleia Legislativa”, diz o vice-presidente do SINTESPO, Roberto Rodrigues, que participou da reunião.

Para o presidente do SINTESPO, Plauto Coelho, é urgente que esses benefícios sejam revistos. “Os funcionários públicos são os únicos a pagar a conta da crise, com redução de salário e agora perdas em seus benefícios previdenciários. Não é justo que os ricos ganhem desconto e os trabalhadores percam direitos todos os dias”.

Durante a reunião, membros do governo se comprometeram a “atuar em conjunto (com o FES) para fazer uma revisão das desonerações e isenções fiscais”. Segundo os técnicos da Sefa, isso é “de interesse da Secretaria e uma das missões que foram dadas tanto pelo secretário da pasta quanto pelo próprio governador (Ratinho Jr.), recentemente”.

Os representantes da Sefa também disseram que há uma necessidade de revisão, ressalvando-se benefícios concedidos no contexto da guerra fiscal para não haver perda de competitividade de empresas paranaenses.

Comentários

Conte nos que você achou!