O projeto do governador do Paraná, Ratinho Júnior, que pretende tirar mais um direito da população paranaense extinguindo a licença especial dos servidores públicos do Poder Executivo volta à discussão na Assembleia Legislativa nesta terça-feira, 15.

A ironia é que mais esse ataque contra os servidores pode se dar justamente na data em que é comemorado o Dia do Professor, prejudicando irremediavelmente dezenas de milhares de docentes e suas famílias.

Depois de ser aprovado em primeira discussão, na terça-feira passada, o projeto recebeu 32 emendas, que foram discutidas na Comissão de Constituição e Justiça na quarta-feira. O deputado Tadeu Veneri (PT) pediu vistas e isso fez com que o projeto só volte a ser discutido novamente na CCJ na terça-feira que vem.

“O resultado é previsto. Apenas o deputado Tadeu está do nosso lado na CCJ e o projeto deve ser levado ao plenário na mesma terça-feira e votado definitivamente pelo conjunto dos parlamentares. É preciso que todos os servidores e a população em geral pressione esses deputados, que não se importaram em retirar mais esse direito dos trabalhadores na primeira discussão do projeto. Sem a pressão popular, funcionários públicos como médicos, enfermeiras, policiais, professores, fiscais e uma série de outras categorias vai ficar sem a licença, um direito conquistado há quase 50 anos”, diz o presidente do SINTESPO, Plauto Coelho.

Comentários

Conte nos que você achou!