A proposta de reforma da previdência enviada pelo Planalto ao Congresso é extremamente prejudicial ao trabalhador, punindo especialmente mulheres e idosos. Essa é a convicção da diretoria do SINTESPO sobre esse assunto. Tendo isso em vista, os diretores iniciaram na manhã desta quinta-feira, 28, uma série de visitas aos parlamentares da região dos Campos Gerais para expor esse posicionamento e cobrar voto contrário à proposta no Parlamento.

“Hoje conversamos com o deputado federal Aliel Machado e falamos da preocupação que temos em relação à proposta de reforma da previdência. Se aprovada como está, será um imenso retrocesso e a população mais pobre vai sofrer as consequências. Felizmente o deputado pensa da mesma maneira e nos disse que está trabalhando contra a medida”, disse o presidente do SINTESPO, Plauto Coelho.

Para reforçar o trabalho de divulgação das informações sobre a reforma, o SINTESPO convidou o deputado Aliel para que exponha suas ideias em uma reunião na sede do sindicato. “O deputado aceitou o convite e vamos escolher uma data no próximo mês de março para que ele fale aos servidores da UEPG sobre os problemas da proposta”, anunciou o vice-presidente, Roberto Rodrigues.

Ainda como forma de qualificar o debate e alertar a comunidade acadêmica da UEPG, assim como a sociedade ponta-grossense, o SINTESPO vai iniciar no mês de março uma campanha informativa sobre a proposta da reforma. “Estamos elaborando um material que será disponibilizado nas nossas redes sociais para explicar à população todos os pontos que são prejudiciais ao trabalhador dentro da proposta. Também vamos procurar junto ao Fórum das Entidades Sindicais parcerias para elaboração de materiais informativos”, disse o secretário geral, José Luiz Rocha.

Comentários

Conte nos que você achou!