A direção do Sindicato dos Técnicos e Professores da Universidade Estadual de Ponta Grossa repudia a atitude da governadora Cida Borghetti de encerrar o diálogo com os servidores públicos do Poder Executivo e seguir na mesma linha do ex-governador Beto Richa.

Nesta semana, Cida retirou a proposta vergonhosa de correção de 1% dos salários após sentir que iria perder a votação em plenário, onde havia chances de aprovação de proposta de emenda da bancada de oposição estabelecendo 2,76%. Na sessão de terça-feira, 10, houve reação dos servidores que estavam nas galerias e a pauta de votações foi suspensa.

Os salários dos servidores do Poder Executivo estão desde 2016 sem a recomposição da inflação. No total, as perdas já somam 11,6%. Pelos estudos feitos pela bancada de Oposição, o governo tem plenas condições de corrigir os salários dos servidores do Poder Executivo.

Para a direção do Sintespo, “é lamentável que a governadora continue a desrespeitar os servidores como fazia seu antecessor. Valorizar o funcionalismo público é valorizar o serviço público, que acolhe e sustenta a grande maioria da população, principalmente a mais carente”, disse Pedro Blaczak, diretor do Sindicato.

Em Curitiba, reunidos no acampamento da data-base, representantes dos sindicatos que compõem o Fórum das Entidades Sindicais (FES) fizeram uma avaliação e análise coletiva. Ficou definido que a coordenação do FES ficará responsável pela interlocução e reuniões que surgirem com governo, repassando informações as direções das entidades.

Além disso, o FES fará uma reunião estadual ampliada para avaliação e reorganização do calendário de lutas para o mês de agosto, com a coordenação e pelo menos um representante de cada entidade, na quinta, dia 19 de julho de 2018, às 9 horas, na sede da APP Sindicato.

A liderança do governo na Alep se comprometeu em indicar um interlocutor para conversar com o FES.

Comentários

Conte nos que você achou!