O Comitê em Defesa do Direito à Mobilidade de Ponta Grossa foi lançado oficialmente nesta quinta-feira, 2, em evento realizado no Sindicato dos Servidores Públicos Municipais (SindServ) e recebeu a adesão do Sindicato dos Técnicos e Docentes da UEPG (SINTESPO).

Durante o evento, o diretor de Carreira Docente Universitária do SINTESPO, professor Edson Armando Silva, discursou elencando os principais pontos a serem debatidos sobre mobilidade urbana na cidade.

“Falamos em nome do SINTESPO, um sindicato que a maioria dos trabalhadores mora ou trabalha no bairro de Uvaranas e depende bastante do Transporte Público. A discussão pelo direito à mobilidade é urgente. Lembremos que a Emenda Constitucional que estabelece o Transporte Público como direito é de 2015. Não basta apenas discutir questões relacionadas à tarifa, mas é preciso mudar completamente o modelo”, disse o professor.

Para Edson Armando Silva “… é necessário pensar o transporte coletivo do ponto de vista da solidariedade social, enquanto direito social, assim como acontece com a Saúde Pública por meio do SUS. A falta de condições de mobilidade é um dos elementos que torna nossa sociedade tão desigual. Há pensadores que dizem que não se mede o valor de uma sociedade pelo Produto Interno Bruto nem por sua capacidade de gerar riqueza, mas pela qualidade de vida de seus elementos mais frágeis”, apontou.

Na opinião do professor, “o sistema de concessões está falido e vai gerar crises permanentes se for perpetuado. É necessário pensar num fundo municipal de transporte, romper o sistema de concessão, pensar em fretamento, usar as modernas tecnologias para otimizar rotas e estabelecer um conjunto de modais que permita às pessoas mais vulneráveis da nossa sociedade poder estar em todos os lugares”.

Além do SINTESPO, passaram a integrar o comitê a Seção Sindical dos Docentes da UEPG (SINDUEPG), Sindicato dos Trabalhadores da Indústria de Carnes Derivados de Ponta Grossa (STIMLACA), Sindicato dos Comerciários de Ponta Grossa e Região (SECPG) e o anfitrião do lançamento, SINDSERV. Além dos sindicatos, o Comitê também vai contar com a participação do Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (CEBRASPO) e com o apoio do mandato do deputado estadual Tadeu Veneri (PT), que esteve presente no lançamento.

A ideia da formação do Comitê em Defesa do Direito à Mobilidade surgiu após o seminário “Transporte Público em PG – Um outro modelo é possível”, uma série de três encontros virtuais com a participação dos maiores especialistas do país no assunto, realizado no mês de julho de 2021.

A intenção dos organizadores é fazer um amplo debate sobre a mobilidade urbana em Ponta Grossa, reunindo as contribuições dos especialistas e das instituições que agora fazem parte do comitê a fim de colaborar com o governo municipal na elaboração de um novo modelo de mobilidade, tendo em vista que o contrato de concessão do Transporte Público se encerra em 2023 e no ano que vem deve haver novo processo licitatório.

Comitê pelo Direito à Mobilidade foi lançado no SindServ

Comentários

Conte nos que você achou!