As direções dos sindicatos unificados que congregam técnicos e professores das universidades estaduais do Paraná se reuniram nesta terça-feira, 17, de modo remoto, com o professor Aldo Bona, superintendente geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (SETI) do governo para obter informações sobre os critérios e o prazo de pagamento das promoções e progressões liberadas pelo governador Ratinho Júnior.

De acordo com Bona, a SETI recebeu das universidades, no último dia 16, levantamento dos valores pendentes de pagamento e ainda não implantados em folha. Informações essas que deverão ser compiladas e enviadas para a SEAP neste dia 18, com a expectativa de que os recursos sejam incorporados a partir da folha de setembro.

Indagado pelos dirigentes, Bona, informou que, no entendimento das demais secretarias envolvidas, os valores retroativos deverão ser aplicados somente àqueles que adquiriram o direito antes da edição da Lei 231, ou seja, antes de dezembro de 2020.

Os sindicalistas ressaltaram que caso não haja o pagamento de forma administrativa pelo governo, os sindicatos já prepararam ações judiciais pleiteando o ressarcimento dos valores aos servidores.

CONCURSOS E CONTRATAÇÕES

Além do tema das promoções e progressões, os sindicalistas questionaram o superintendente sobre a recomposição do quadro de pessoal das universidades e ouviram do diretor da pasta que, neste momento, há consenso em contratar técnicos e docentes que encontram-se classificados nos concursos em aberto.

Quanto a abertura de novos concursos, há um condicionamento por parte do governo à aprovação da LGU. Informou ainda que referido projeto de lei deverá ser encaminhado para apreciação da ALEP nas próximas semanas.

No entanto, caso o governo não consiga enviar o texto nesse prazo, ou mesmo até o final desse ano, Bona disse ter alertado o governador sobre a necessidade de abertura de novos concursos para técnicos e professores.

Comentários

Conte nos que você achou!