Os integrantes do Fórum das Entidades Sindicais (FES) foram chamados para uma reunião na manhã desta sexta-feira, 5, no Palácio Iguaçu, com o secretário chefe da Casa Civil Guto Silva e os deputados Tiago Amaral e Hussein Bakri, lideranças do governo na Assembleia Legislativa.

Durante o encontro os representantes do governo se mostraram dispostos a reformular a proposta sobre a data base, tendo em vista que os servidores não aceitaram o que foi oferecido pelo governo, ou seja, 0,5% de reposição da inflação em 2019, e outras três parcelas nos próximos três anos, totalizando 5,09%, condicionadas ao aumento da receita e à aceitação da retirada de direitos.

As lideranças do Fórum das Entidades Sindicais FES e de associações e sindicatos das polícias civil e militar cobraram uma proposta que contemple os 4,94% da inflação do último período de 12 meses, que venceu no dia 1 de maio, e a abertura de negociação sobre o que resta dos 17% de passivo dos últimos anos, sem desconsiderar durante o mandato as datas base dos próximos anos.  Além disso, exigiram que o governo interrompa as práticas antissindicais como ameaças de demissão dos funcionários PSS e lançamento de faltas durante a greve.

As lideranças enfatizaram que aguardam uma “proposta decente” e que também não negociam retirada de direitos.

Com informações do FES

Comentários

Conte nos que você achou!