A decisão manifestada no organograma do novo governo do Paraná sobre a extinção da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) transformando-a numa superintendência ligada ao gabinete do governador Carlos Roberto Massa Júnior, Ratinho Júnior, preocupa os dirigentes dos sindicatos das universidades estaduais.

Numa reunião realizada no dia 28 de dezembro, na cidade de Cascavel, representantes do SINTESPO – UEPG, Sinteemar – UEM, Assuel – UEL, Sinteoeste – Unioeste, e Sintesu – Unicentro, se reuniram para debater esse e outros assuntos ligados a ações sindicais.

Sobre a extinção da SETI, os diretores dos sindicatos destacaram a necessidade de reunião
com o professor Aldo Nelson Bona, que será o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino
Superior do Paraná.

“Estamos avaliando sobre como essa decisão do novo governo vai repercutir nas universidades estaduais, principalmente nas questões ligadas ao orçamento. Nos últimos anos o Ensino Superior Público esteve sob constante ataque, com a falta de reposição salarial aos servidores, corte em recursos dos mais diversos, principalmente no custeio, entre outros retrocessos. Entendemos que tirar o status de Secretaria da Ciência e Tecnologia pode prejudicar ainda mais as universidades. As instituições de ensino superior são responsáveis em grande parte pelo desenvolvimento do Paraná e esperamos que tenham uma atenção especial pelo novo governo, sem mais retrocessos”, disse o presidente do SINTESPO, Plauto Coelho.

Durante a reunião em Cascavel os dirigentes redigiram um comunicado dos Sindicatos Unificados sobre a Extinção da SETI. Confira:

COMUNICADO SOBRE A EXTINÇÃO DA SECRETARIA DE ESTADO DA CIÊNCIA, TECNOLOGIA E ENSINO SUPERIOR

Em reunião realizada em 28 de dezembro de 2018, na cidade de Cascavel-PR, representantes
dos Sindicatos Unificados das Universidades Estaduais do Paraná (Sinteemar – UEM, Assuel – UEL, Sinteoeste – Unioeste, Sintespo – UEPG, e Sintesu – Unicentro) avaliaram a decisão do governador eleito Carlos Roberto Massa Júnior, Ratinho Júnior, que divulgou o novo organograma do estado indicando a extinção da Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) e a criação de uma superintendência vinculada ao governador. Os sindicatos supracitados, por meio deste documento, manifestam preocupação com a decisão.

Para entendermos a importância da Seti para o desenvolvimento do Paraná, destacamos o estudo “Pesquisa no Brasil – Um relatório para a Capes”, realizado pela empresa norte-americana
ClarivateAnalytics, onde dados mostram claramente que a produção científica brasileira é feita quase exclusivamente dentro das instituições públicas de ensino. Segundo o relatório, divulgado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que reflete dados de 2011 a 2016, 99% das pesquisas são feitas pelas universidades públicas.

Ao produzir a Ciência, a Tecnologia e a Inovação, as universidades paranaenses alavancam o
desenvolvimento de todo o Estado, em áreas como a saúde, agricultura, meio ambiente, industrialização, dentre outras, sempre produzindo e levando o conhecimento para sociedade.
A predominância absoluta das universidades públicas na produção de Ciência e Tecnologia
(C&T) no Brasil deveria implicar em maior valorização das universidades públicas.

Porém, o novo Governo do Paraná mostra o desconhecimento da realidade e reflete a desvalorização do Ensino Superior.

Ao transformar a Seti em uma superintendência, vemos o Paraná na contramão do que a
sociedade atual necessita. Deveríamos pensar o Ensino Superior, a Ciência e a Tecnologia como
ferramentas indispensáveis do progresso, sendo um investimento que nunca pode ser confundido com gasto ou desperdício. Inovar é um pressuposto para o desenvolvimento, indispensável ao crescimento e a soberania dos estados e país.

É por isso que os Sindicatos Unificados das Universidades Estaduais vem a público manifestar
preocupação quanto à extinção da Seti, tendo e vista que a decisão foi tomada sem o devido diálogo com a comunidade universitária das IEES e com a sociedade. Também, nos posicionamos em prol de maior valorização da Ciência, da Tecnologia e do Ensino Superior, bem como da interlocução entre os envolvidos no sistema de Ensino Superior, Ciência, Tecnologia e Inovação.

Ainda, considerando a necessidade de debate sobre a extinção da Seti, solicitamos
manifestação dos Conselhos Universitários (COU’s) das universidades estaduais e também da Associação
Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (Apiesp) sobre o assunto.
Na expectativa de um novo tempo, de desenvolvimento nas IEES e, consequentemente, na
sociedade, nos colocamos à disposição para o diálogo e para juntos pensarmos alternativas viáveis para as Universidades Estaduais do Paraná.

Sindicatos Unificados das Universidades Estaduais do Paraná.

Comentários

Conte nos que você achou!